Arquivo da tag: cultura pop

Filme para o Final de Semana: Pronta para Amar

Sou fã da Kate Hudson. Desde que a vi em ‘Quase Famosos’, um filme muito bom por sinal, gostei da loirinha Penny Lane. Então, procuro acompanhar sua carreira cinematográfica, confesso que ela cometeu alguns erros nas escolhas de roteiro, mas, não é o caso de ‘Pronta Para Amar‘.

Esse filme não é uma comédia romântica muito engenhosa e muito menos um drama super original, mas nos ganha por alguns quesitos que estão virando peça rara nos filmes atuais: sutileza, simplicidade e elegância.

Quantas filmes retratam a história de pacientes terminais? Sim, vocês devem ter pensado em pelo menos uns dois… E essa é a premissa de ‘Pronta Para Amar’. Marley (Kate Hudson) é uma mulher bem sucedida, independente e alegre. Mas…para ela a ideia de apaixonar-se e viver feliz para sempre é uma grande mentira. Tudo muda quando ela é surpreendida por uma grave doença e por seu charmoso e tímido médico Julien (Geal Garcia Bernal). Contando com uma ajudinha de Deus (Whoopy Goldberg), ela tem a chance de fazer certo e finalmente estar pronta para amar.

Com a morte eminente Marley quer experimentar o amor antes de partir e começa a avaliar o modo como ela tem vivido. A relação com a mãe, com os amigos e com seu novo namorado, mostram que na verdade Marley tem medo de não ser o suficientemente boa para as pessoas. Apesar de um tema que consideramos pesado, o filme não é assim. Grande parte porque a interpretações dos atores ajuda bastante. Kate e Gael tão arrasando!

O mais legal é enquanto o filme vai passando a personagem de Kate vai aceitado sua condição e ela mesmo vai ajudando seus amados a superar sua perda. Um filme muito tocante, daqueles ” de mulherzinha” mesmo. Chorei horrores e pra mim a mensagem que passou é que não devemos ter medo de viver porque a morte tá aqui rodando a gente. Pode parecer estranho, ams muita gente tem sim medo de viver!

Ótimo filme! Curtam e  me digam o que acharam!

Anúncios

Filme para o final de Semana: Juntos pelo acaso

Comédia romântica é o que não falta, mas, comédia romântica com lições que vão além de encontrar o verdadeiro amor não é tão fácil assim de encontrar. Juntos pelo Acaso é um filme daqueles gostosos pra você assistir debaixo do edredom com um baldão de pipoca. Ok, não tá tão frio, mas, vocês entenderam o que quis dizer.

Tudo o que está escrito no pôster aí é verdade. Confesso que comecei a ver o filme com desconfiança, afinal, tinha acabado de ver um filme com a Katherine que me decepcionou. Sorte minha que sempre coloco meus preconceitos de lado e dou uma chance pra me provarem que estou errada. AINDA BEM.

Holly é uma mulher trabalhadora e séria que tem um encontro marcado com Messer é aquele cara que nunca cresceu. Acontece que eles são tão diferentes que o encontra só chega ao carro até eles brigarem e desistirem. Mas, os dois são os melhores amigos de um casal e acabam tendo que se aturar por causa disso. Até o dia em que esse casal morre deixando a filha deles aos cuidados de quem??? Isso mesmo, Holly e Messer.

Os dois, que não se suportam, terão que dividir o mesmo teto e o mais importante: cuidar de uma criança.  Temos muitas cenas engraçadas e claro, como um bom blockbuster, não poderia faltar romance. Mas, creio que a principal mensagem do filme é de que mesmo que a vida nos proporcione algo que não é fácil e que pode mudar totalmente a nossa rotina, não significa que não podemos ser felizes. E mesmo que tenhamos que abrir mão de alguns planos e sonhos, isso pode não ser uma coisa totalmente ruim. É como o ditado diz, uma porta é fechada e a janela é aberta.

É claro que é um clichê e é claro que sabemos o final. Mas, vale á pena. As fórmulas para as comédias românticas estão bem batidas e é bom ver um filme que consegue ultrapassar essa barreira e nos manter grudadinho na tela. Fofo demais. A bebê Sophie é linda e os dois deram certos juntos.

Ótima dica pra passar o tempo e ser feliz!

Filme para o final de semana: Aos Treze

Mais um filme adolescente, só que dessa vez dramático e cheio de lições. Se no “Filme para o final de semana” passado falamos do Clube dos Cinco, que é divertido e leve, essa semana temos “Aos Treze” que de divertido e leve não tem nada.

Aos treze, ou “Thirteen” em inglês fala sobre a transformação de Tracy (Evan Rachel Wood) uma menina estudiosa que ainda brinca com bonecas ao conhecer Evie Zamora (Nikki Reed) a garota mais sexy do colégio, arrogante e bonita. Ou seja, tudo o que Tracy queria ser.

Para se tornar a melhor amiga de Evie, Tracy muda seu jeito de vestir, de se comportar e acaba aprendendo os truques para se tornar popular.

O que acontece é que quanto mais Tracy entra na “vida adulta”, mais sua vida fica complicada. Seu rendimento na escola cai, suas antigas amigas se afastam e ela cria um abismo entre ela e a mãe.

Sexo, drogas, falsas amizades, depressão e até automutilação são alguns dos temas tratados no filme que tem muito à ensinar. O filme foi co-escrito pela própria Nikki baseado em suas experiências.

Não vou contar o final porque perde a graça, mas se você acha que esse tipo de vida pode parecer legal pense muuito bem! Porque?

1. Amigos como Evie parecem ser super legais, mas só servem pra te levar ladeira abaixo como o próprio filme retrata.

2. Por mais que você erre, brigue e fale coisas sem pensar para eles, os seus pais são as pessoas que vão estar sempre lá pra te ajudar não importe o que aconteça, por isso, é bom pensar nas consequências dos seus atos e de como isso vai influenciar sua família.

3. Na hora que tudo desmorona, os amigos “legais” geralmente são os primeiros à caírem fora.

 Segue o trailler do filme. Pra quem tem tv á cabo, ele sempre passa no Megapix. Se tem algum “adolescente” que tá começando a dar problema em casa, esse é o filme.

Filme para o Final de Semana: Clube dos Cinco

Existem milhares de filmes adolescentes divertidos, mas quantos deles são inocentes, tem um humor leve e com tramas “bobas” que prendem nossa atenção por completo? Bom, dos anos 80 existem muitos.. A garota de Rosa Shocking, Curtindo a Vida Adoidado, Gatinha e Gatões, Te pego lá Fora… E todos eles considerados clássicos! Se você gosta de cinema, cultura pop e moda. Essa nova coluna vai cair como uma luva pra você.

Hoje, escolhi um filme que apesar de ser dos anos 80 continua super atual. O Clube dos Cinco (The Breakfast Club), conta a história de cinco adolescentes que cometeram pequenos delitos no colégio e por isso, recebem a detenção num sábado e no final do dia, eles tem que entregar uma redação de mil palavras  o que eles pensam de si mesmos. Os cinco são completamente diferentes e fazem parte de “ninchos escolares” completamente diferentes. Mas, durante o dia aprendem a se respeitar e a se enxergarem além do esterótipo.

O filme investiu no talento dos protagonistas, cinco jovens notáveis da época (da esq. para direita) Judd Nelson, Emilio Estevez, Ally Sheedy, Molly Ringwald e Anthony Michael Hall;

O cenário do filme é apenas um: o colégio. Enquanto estão na detenção, os cinco aprontam muito, revelam vários segredos e constroem uma amizade. O nerd, a estranha, a patricinha, o esportista e o rebelde mostram que na pessoa que você julga pode existir um amigo!

Além disso, temos a prova de que para ser bom, um filme precisa de um bom roteiro e bons atores. Não milhões gastos em efeitos especiais e visuais. O figurino é o mesmo durante todo o filme, assim como o cenário.

Também dá pra enxergar de onde vieram tantas tendências dos dias atuais.

Ficou com vontade de ver? No SBT de vez em quando passa, aliás, eles passam muitos filmes dos anos 80… Na TV à cabo dá pra conferir no Megapix e Telecine Cult ( só ficar ligado na programação) e também dá pra encontrar pela net (dava, depois que vários sites foram tirados do ar, não sei). Se não consegui ver, fica com o trailer.